Saiba mais sobre espumas

História da espuma flexível de poliuretano
A utilização comercial dos polímeros de uretano a base de polióis foi descoberta por Otto Bayer em 1937. A química do uretano porém, já era conhecida desde 1849, quando Wurtz e Hoffman fizeram os primeiros relatos sobre a reação entre um isocianato e um grupo hidroxilito. Foi para competir com o Nylon que, a partir da descoberta de Bayer a indústria começou a trabalhar com produtos à base de uretano. A escassez de materiais de borracha durante a 2ª guerra mundial estimulou o desenvolvimento de produtos à base de uretano nas mais diversas aplicações.

Matérias-primas dos Uretanos
1. Poliol Polieter => composto líquido produzido a partir do propileno, um derivado do petróleo;
2. Isocianatos => TDI – Líquido incolor (tolueno de isocianatos);
3. Água;
4. Catalizadores => para controle e balanceamento da expansão e compostos que aceleram a reação de gelificação;
5. Pigmentos;

Espuma Flexível de Poliuretano
A espuma flexível de poliuretano forma-se a partir de duas reações químicas:

1. Polimerização => também chamado de reação de gelificação. É a reação do poliol com o isocianato que formam o polímero de uretano.
2. Expansão => A água reage com o isocianato formando gás-carbônico, que expande mistura polimerizada.
3. Existem duas maneiras de fabricar espuma de poliuretano:
4. Espumação contínua de baixa pressão;
5. Espumação descontínua ou em moldes. Neste modelo de produção as matérias-primas são previamente dosadas, misturadas e despejadas em molde metálico.

Após a formação do bloco de espuma, este deverá descansar por 24 horas, processo também chamado de cura, onde se completam as reações químicas. É também o período de resfriamento do bloco de espuma, pois o calor interno chega à temperatura de 160°. Somente após o processo de “cura” que a espuma poderá ser laminada e empregada na produção de colchões, de móveis, estofados, de calçados, artigos têxteis, de brinquedos, etc. Na produção de colchões, os blocos de espuma são laminados nas espessuras e comprimentos desejados – Colchões de solteiro, casal e berço. No processo seguinte as lâminas são revestidas com tecidos lisos ou bordados, previamente cortadas nas dimensões necessárias dos tampos/faixas e costurados em máquinas do tipo herméticas (de fechamento). Costurados e de posse de suas etiquetas de identificação, os colchões são embalados em sacos plásticos e encaminhados à expedição, aguardando o transporte até a loja.

Contudo, desde o recebimento da matéria-prima até a remessa do produto acabado, há a necessidade de rigoroso controle de qualidade, testes laboratoriais e da fiscalização constante durante todo o processo de produção.

Densidade (ou massa específica aparente)
Utiliza-se o termo densidade para saber-se quanto, realmente, suporta de peso, tanto na dureza quanto no conforto proporcionado no seu uso constante, um colchão. Exemplos:

D28 => 28Kg / M³ - Ideal para pessoas até 70 Kg
D33 => 33 Kg / M³ - Ideal para pessoas até 90 Kg
D45 => 45 Kg / M³ - Ideal para pessoas até 110 Kg
D60 => 60 Kg / M³ - Ideal para pessoas acima 110 Kg

Av. Contagem, 1920 - Bairro Santa Inês | Tel: (31) 2526-1555
CEP: 34710-010 - Sabará - Minas Gerais